Sustentabilidade na Moda e Suas Inovações Parte 1

 

A sociedade de maneira geral passou a se preocupar cada vez mais com o meio ambiente, sendo o principal desafio produzir sem causar impactos negativos e garantir um uso consciente dos recursos naturais. Empresas cada vez mais têm buscado soluções com investimento em pesquisas e uso de tecnologias para desenvolver tipos de matérias-primas que serão utilizadas pela indústria da moda. 

Neste artigo mostramos como é possível encontrar na moda iniciativas sustentáveis como uma tendência das passarelas e vitrines do mundo todo.

Mudança de consumo

Um estudo com consumidores na China feito em parceria com a empresa North Mountain Consulting Group, indicou que o mercado de couro alternativo estará crescendo com um valor de mercado estimado de US$ 89,6 bilhões em 2025. O preço das peles de couro mostra baixas recordes muito recentemente, têm se notado também que muitas indústrias globais de moda e automotiva têm buscado cada vez mais couros alternativos, a maioria explicou que buscaram alternativas devido às preocupações com o meio ambiente e uma grande parte estavam preocupados com o bem-estar animal. Uma grande escala dos clientes declarou estar abertos para compra alternativa de couro.

A criação de alternativas de couro de última geração que superem o couro funcional e eticamente pode levar a uma transformação total do mercado de couro, longe das opções animais.

 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
 

Uma dessas opções é conhecido como Mylo, um couro especial cultivado a partir de células de micélio, as raízes que os fungos usam para crescer, alimentado com serragem, descansado e colhido ao longo de duas semanas.

 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
 

A empresa canadense de artigos esportivos Lululemon se tornou a marca mais recente a lançar produtos feitos com Mylo, que é um couro alternativo feito de micélio (a rede de raízes ramificadas do fungo) – através de uma parceria feita com a empresa americana de biotecnologia Bolt Threads que são os produtores de Mylo.

Através dessa parceria a Lululemon revelou uma nova coleção de produtos para o início de 2022 que incluem tapete de ioga e bolsas de ioga e de lona.

 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
 

A empresa de roupas esportivas se tornou membro do Consórcio Mylo da Bolt Threads juntando-se a empresas como a Adidas, Stella McCartneyHermès e Kering (marca por trás de grifes como Gucci, Bottega Veneta, Balenciaga e Alexander McQueen) pelo compromisso de usar Mylo para criar produtos mais ecológicos.

 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
 

A empresa The Dole Sunshine Company – maior produtora de frutas e vegetais anunciou parceria com a empresa londrina Ananas Anam, os fabricantes do Piñatex, um tecido inovador natural que é o couro vegano, feito de resíduos do abacaxi, na verdade feito de fibras de folhas de abacaxi de origem sustentável.

Essa parceria será feita de forma que a empresa Ananas Anam produzirá o tecido Piñatex a partir da fibra das folhas da planta de abacaxi colhida pela empresa The Dole Sunshine, isso para a empresa faz parte de um compromisso em atingir a perda zero de frutas até 2025. Essas folhas são subproduto da agricultura e cria um fluxo de renda adicional para as comunidades agrícolas.

Piñatex é adequado para uso em moda, acessórios e estofados, já foi usado por mais de 1000 marcas em todo o mundo, incluindo Hugo Boss, H&M e Hilton Hotel Bankside.

 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
 

niLuu é uma empresa que produz loungewear de luxo com um diferencial, toda a seda usada é vegana e produzida em um jeito sustentável e socialmente responsável.

Sediada na América, a empresa foi fundada pela ex-jogadora profissional de voleibol Nilufer Bracco que tem paixão pela sustentabilidade e o bem-estar dos animais.

Todas as peças são produzidas na Turquia, e a empresa assegura salários justos, ambiente de trabalho seguro e benefícios para todos os trabalhadores.

A seda vegana usada para produzir as peças na verdade é feita de Cupro – uma fibra derivada de bioprodutos do algodão aprovado pela PETA.

Cupro é um tecido produzido a partir de filamentos que envolvem as sementes do algodão, parece com seda, respira como algodão e é uma maneira de aproveitar totalmente o algodão, ficando ainda mais ético quando é produzido a partir do algodão orgânico.

 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
 

A empresa japonesa fabricante de artigos esportivos Goldwin apresentou seu mais recente produto ¨O Suéter¨, onde foi utilizado em sua produção o fio de seda de aranha "sintética" que é produzido através de uma proteína fermentada, ou seja, uma biomassa vegetal produzida por um processo de fermentação que imitará a seda da aranha; o responsável pela criação é a startup japonesa Spiber. Essa fibra também foi usada na fabricação da jaqueta Moon Parka produzida pela The North Face Japan.

 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
 

Na procura de uma alternativa para o couro animal, dois empresários e inovadores mexicanos Adrián Lopez Velarde e Marte Cázares, acreditam ter a solução para esse problema; após 2 anos de pesquisa e desenvolvimento, eles criaram o processo patenteado de produção de couro de cactos.

É um processo sustentável onde apenas as folhas maduras do cacto são colhidas e dentro de 6 a 8 meses as folhas crescerão novamente, é uma planta que requer pouca água para crescer, sendo suficiente somente a água da chuva como irrigação.

A empresa leva o nome de Desserto® em alusão a matéria prima que produz o couro, e já podemos ver muitas marcas fazendo uso do couro de cacto, colocando assim o México no centro da indústria global da moda sustentável.

O couro de cacto tem sido usado para produzir roupas, sapatos e até luva de boxe.

Um acordo de distribuição foi feito entre a Desserto® e a multinacional sueca H&M que é uma das maiores cadeias de roupas do mundo, com 4.700 lojas em 69 países. Marcas como a Dominic & Dempsey situada em Austin-Texas criou estilosas botas para crianças com o couro de cacto, forro de lona de algodão e sola de crepe de borracha 100% natural, assim como a marca polonesa Bohema Clothing que já usa diferentes materiais veganos em suas coleções também cria botas (para adultos) usando o couro de cacto.

Uma empresa que além de usar o couro de cacto também está inovando na maneira de reduzir os resíduos do mesmo é a marca mexicana De Gyves Fashion, que utiliza o couro de cacto para fabricar roupas e acessórios e desenvolveu um processo termodinâmico sustentável, onde os resíduos sólidos, produto da fabricação de seus materiais feitos com o cacto são transformados em carvão compostável. A pesquisa e o trabalho que foi realizado para esse processo é de autoria do engenheiro químico e fundador da De Gyves Fashion, Alejandro López Arriaga.

Outra marca que faz uso do couro de cacto em sua produção é a empresa suíça de relógios DecideAndAct (d&a)que lançou uma coleção de relógios veganos sustentáveis, feitos totalmente de materiais reciclados ou de origem biológica.

Os relógios da empresa são projetados e fabricados na Suíça, usando energia renovável, a pulseira é feita de couro de Cacto e PET reciclado e a embalagem é reutilizável, biodegradável e vegana.

 

CONFIRA A PARTE 2 DESDE ARTIGO AQUI.

 

Por Ana Luci Bueno

Consultora em Design de Moda - e-mail: ana.bueno@sp.senai.br

 

Instituto SENAI de Tecnologia – IST Têxtil e Moda

Rua Correia de Andrade, 232, Brás, São Paulo/SP

Ismael Oliveira - Supervisor de Projetos e Tecnologia

e-mail: ismael.soliveira@sp.senai.br

(11) 3312-3550 - Ramal 3624 / (11) 3312-3572  

Saiba mais sobre nossos serviços: https://bit.ly/institutosenaitecnologia

Siga nosso LinkedIn: www.linkedin.com/showcase/ist-textil-moda

#sustentabilidade #modasustentável #tecnologianamoda #inovação